Programa K’CIDADE

1. Identificação
a. Nome: K’CIDADE- Programa de Desenvolvimento Comunitário Urbano (Fundação Aga Khan)
b. Data de Fundação: AKF em Portugal (1996) / Programa K’cidade (Março 2004)
c. Estatuto Jurídico: Pessoa colectiva de direito privado e utilidade pública
d. Morada: Rua Luís Piçarra, 6 A, 1750-101 Lisboa
h. Email:
monica.azevedo@kcidade.com
i. Site: www.KCIDADE.com    


2. Missão e Visão/ Áreas de Intervenção

O Programa teve início em 2004 e assume um compromisso de longo prazo tendo em vista a promoção de processos de mudança social que respeitem os ritmos das comunidades, num processo de progressiva autonomização dos diversos agentes, procurando responder aos desafios que enfrentam as comunidades urbanas mais pobres e socialmente excluídas, nomeadamente, as comunidades com forte presença de imigrantes e minorias étnicas e culturais.   

Missão
Capacitar comunidades urbanas excluídas com vista à melhoria da sua qualidade de vida. 

Visão
Comunidades que se afirmam como agentes activos do seu próprio desenvolvimento sustentável.

Informática no Centro de Inovação Comunitária

 
3. Projectos / Actividades / Valências
Na sua maioria as actividades do K’CIDADE são realizadas em parceria com outros actores locais, sendo por isso que muitas das actividades são lideradas por outras entidades. As actividades dividem-se em 4 eixos de intrevenção:

   
I. Cidadania
Fomento de intervenções territorializadas, propiciadoras da participação e do empowerment das populações e das várias entidades, enquanto responsabilidade colectiva, e partindo dos recursos, capacidades e potencialidades de todos. 

  • Criar oportunidades para que as pessoas possam desenvolver novas relações na sua comunidade e com os seus pares, promovendo a multiculturalidade, o pluralismo, a intergeracionalidade e a igualdade de oportunidades;
  • Criar organizações de auto-representação nomeadamente a formação e liderança de grupos de ajuda mútua favorecendo a inclusão social de grupos específicos, nomeadamente imigrantes e minorias étnicas;
  • Promover a participação das pessoas na identificação de necessidades e recursos, no planeamento e implementação de actividades, defesa do seu ponto de vista, autonomia e auto-determinação;
  • Promover a aquisição de competências que permitam enquadrar, desenvolver e dirigir organizações de base local, com enfoque nas associações de moradores e associações de pais;
  • Reforçar a cultura e prática de parceria e de trabalho em rede, promovendo a participação de entidades diversificadas (autoridades públicas, entidades privadas com e sem fins lucrativos);
  • Promover o voluntariado como instrumento de participação e de exercício de uma cidadania activa e como estratégia para a promoção da coesão social.

Mini Jogos da Lusofonia

II. Educação e Infância
Promoção do bem-estar das crianças, melhorando a qualidade e o acesso a serviços para a infância e educação escolar. 

  • Promover o acesso e a melhoria da qualidade dos serviços de educação de infância no território, designadamente, através do trabalho em parceria com as instituições existentes;
  • Promover a integração e o enriquecimento do ensino e da aprendizagem no ensino pré-escolar e nas escolas, com enfoque na educação para a cidadania e multiculturalidade;
  • Fortalecer e apoiar os pais e os líderes das escolas com as competências e saberes necessários para servirem como catalisadores de uma educação inclusiva de qualidade;
  • Encorajar as escolas para que proporcionem oportunidades de aprendizagem e serviços para a comunidade e mobilizar os agentes da comunidade educativa para o estabelecimento de novas parcerias e reforço das existentes.

 

III. Famílias na Comunidade
Responder às necessidades das comunidades mais vulneráveis através de uma intervenção integrada que envolva e apoie as famílias, designadamente, rentabilizando os dispositivos e recursos existentes na própria comunidade. 

  • Promover e apoiar a criação de grupos de auto-ajuda (ajuda mútua) envolvendo famílias em função de necessidades/interesses identificados (igualdade de género, violência domestica, saúde sexual e reprodutiva, monoparentalidade, entre outros);
  • Contribuir para uma abordagem integrada às famílias, reforçando o trabalho em rede dos vários serviços em interacção com as famílias (acção social, saúde, escola, emprego, justiça, entre outros);
  • Dinamizar espaços de participação que permitam a mobilização e o envolvimento das famílias na definição/criação de respostas mais ajustadas às suas necessidades;
  • Proporcionar oportunidades de desenvolvimento de competências das famílias através de acções que aumentem as suas capacidades de planeamento (gestão da economia doméstica e das rotinas familiares), resolução de conflitos (na família e com os outros sistemas com que interage), entre outros;
  • Reforçar o envolvimento parental, tendo em vista desenvolver competências e melhores interacções familiares, contribuindo para um melhor desenvolvimento das crianças em todas as áreas (saúde, educação, bem estar afectivo) e promover a participação das famílias na vida escolar dos seus filhos.

Aulas de Alfabetização de Adultos


IV.Aprendizagem ao Longo da Vida e Empregabilidade
Reforço dos conhecimentos e das competências e aumento das qualificações, no quadro de uma perspectiva pessoal, cívica, social e/ou relacionada com o emprego, promovendo a inclusão social. 

  • Promover competências de procura activa de emprego e reforço da auto-estima e auto-confiança;
  • Promover competências pessoais e sociais, facilitadoras da inserção sócio-profissional, incluindo através da criação do auto-emprego / empreendedorismo e da experimentação de dispositivos de micro-financiamento;
  • Desenvolver iniciativas de literacia e numeracia para adultos, incluindo formação nas línguas Portuguesa e Inglesa, numa perspectiva de aprendizagem ao longo da vida;
  • Reforçar as redes entre as instituições, públicas e privadas, e as entidades empregadoras, para a inserção social e profissional de indivíduos em situação de exclusão;
  • Potenciar a inclusão digital das pessoas, através do incentivo, formação e do apoio na utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação, com enfoque na formação-certificação;
  • Promover a plena participação dos cidadãos, preparando-os para acederem electronicamente a serviços públicos (e-government), compras (e-commerce), formação (e-learning) e outros serviços on-line.

 

4. Território de Intervenção
Uma das áreas geográficas seleccionadas para a intervenção piloto do K’CIDADE, corresponde à Alta de Lisboa (Projecto Urbanístico do Alto do Lumiar, que compreende parte das freguesias da Charneca e do Lumiar), com alargamento desde 2008 à restante freguesia da Charneca.

20 respostas a Programa K’CIDADE

  1. fernanda diz:

    boa noite gostaria saber se tem programa para estagios curso de operador de informatica .

  2. Magda Ribeiro diz:

    Boa tarde,
    Gostaria de saber se necessitam de voluntariado para alfabetização

    • eleonorq diz:

      Ola Magda,

      conheces alguma metodologia que possa alfabetizar pessoas rapidamente?

      Um abrço

      eleonorq

      • ana lucia mendes diz:

        Boa tarde. Desde já peço desculpa pela minha intromissão mas gostaria de deixar a minha contribuição.
        Apesar de os comentários anteriores já terem cerca de um ano, eu só agora conheci a instituição.
        Gostaria apenas de dizer que qualquer metodologia, desde que bem ensinada, com dedicação e empenho pode resultar numa rápida alfabetização. Como é obvio, a faixa etária também contribui imenso para o sucesso do trabalho. Ainda assim, considero que a metodologio de João de Deus, através da Cartilha Maternal, é um excelente método, que eu enquanto professora do 1º Ciclo utilizo e já obtive excelentes resultados.

        Obrigada

  3. Gabriela Neves diz:

    Olá boa tarde, gostaria de saber se existe algum curso previsto na área de informática pós – laboral.

    Com os melhores cumprimentos,

    Gabriela Neves

    • gcalx diz:

      Cara Gabriela Neves,
      A Associação de Pais do Agrupamento do Alto do Lumiar vai iniciar, em parceria com o K’CIDADE um curso de informática em horário pós-laboral. O curso será feito na Escola D. José I. Deve contactar a APEAL (www.apalatodolumiar.wordpress.com) para fazer a sua inscrição através do nº 21.0134285 ou para Susana Pragana através de 91.6349178. Vou enviar-lhe um mail com mais informação.
      Obrigada
      Mónica Azevedo

  4. Fernando Pires da Silva diz:

    Olá bom dia.
    Gostaria de saber se está previsto alguma ação no âmbito das Novas Oportunidades de equivalência ao 12º ano. Eu já tinha iniciado, creio que há 3 anos na Gustave Effeil, na Amadora, que por motivos de horário de trabalho,tive de interromper. Pedi a transferência para o Centro mais perto e fiquei como o meu processo na Pontinha. Entretanto fiquei desempregado e acabei mesmo por falta de motivação dar continuidade ao projeto.

    Há alguma solução para casos como o meu? Terei de fazer uma nova inscrição? Existe na zona do Lumiar algum Organismo que satisfaça estas situações?

    Obrigado
    Fernando Pires da Silva

  5. gcalx diz:

    Caro Fernando,

    Esse programa está suspenso pelo IEFP desde há alguns meses. Aguardamos novas indicações.

    Obrigada
    Mónica Azevedo

    • Gracinda Maia diz:

      Boa noite

      Existem alguns Centros de Novas Oportunidades que desenvolvem os processos de conclusão do Programa para todos os adultos que se tinham inscrito, tendo esses Centros autorização de funcionamento até 31 de Março . Procure um Centro na sua área de residencia , pois algum dels estará em funcionamento e peça a transferencia para lá. As indicaçoes sao que os procesos têm de ser concluidoa até 31 de Março 2013.
      Cumprimentos.

  6. Esta informação é verdadeira?

    Professores para Luanda/Maputo/Dili 2013

    Recrutam-se professores lusófonos para o ano lectivo de 2013/14 em regime temporário e com permanência de pelo menos 6 meses, para o ensino superior, em cursos de bacharelato e licenciatura.

    Podem igualmente candidatar-se docentes Doutorados ou com Mestrado e que tenham, preferencialmente, dois anos de experiência docente comprovada na área em que se candidatam.

    Os professores receberão uma mensalidade de 4500€.

    Será paga também a passagem aérea, em classe económica, de ida e volta do Porto /Llisboa para Luanda / Maputo / Dilí, assim como o regresso.

    Iniciar Processo de candidaturas através do endereço:
    world_recruitment@teachers.org

    Mónica Azevedo
    Coordenadora Equipa Comunitária

    Programa K’CIDADE
    Rua Luís Piçarra, nº 6A
    1750-101 Lisboa
    Tm: 96.8630101
    monica.azevedo@kcidade.com

    • gcalx diz:

      Eu apenas reencaminhei esse mail e como tal não tenho nenhuma responsabilidade ou envolvimento nesse processo, assim como também não o tem a Fundação Aga Khan. Pelas indicações que me foram dadas este mail, no qual foram acrescentados os meus contactos profissionais para dar mais credibilidade, é uma fraude com vista à obtenção de contactos para alimentar bases de dados. Peço o favor de reenviarem esta msg a quem vos mandou o mail ou para os sites onde o encontraram para se conseguir fazer parar o processo.

      Obrigada
      Mónica Azevedo

      • Paula Maria da Costa Pereira diz:

        Bom dia, também eu fui , assim enganada, pois enviei o meu CV para essa proposta de emprego. Sendo uma fraude agradecia que depressa se resolvesse a situação. Obrigada
        Paula Pereira

  7. Terezinha diz:

    Também recebi esta informação sobre o processo seletivo para Moçambique… lamentável.. Terezinha

  8. Mónica Vieira diz:

    Após várias tentativas, sem sucesso, de procura de informação relativa ao recrutamento de docentes para Luanda, Dili e Maputo, venho assim solicitar algum contato ou informação adicional sobre onde e quem contatar. Creio ter já enviado um mail (sem resposta)… tive conhecimento através de 1 mail enviado por 1 colega do observatório da ESE de Santarém.
    Grata desde já.Aguardo resposta.
    Atenciosamente

    Mónica Vieira

    • gcalx diz:

      Bom dia

      Eu apenas reencaminhei esse mail e como tal não tenho nenhuma responsabilidade ou envolvimento nesse processo, assim como também não o tem a Fundação Aga Khan. Pelas indicações que me foram dadas este mail, no qual foram acrescentados os meus contactos profissionais para dar mais credibilidade, é uma fraude com vista à obtenção de contactos para alimentar bases de dados. Peço o favor de reenviarem esta msg a quem vos mandou o mail ou para os sites onde o encontraram para se conseguir fazer parar o processo.

      Obrigada
      Mónica Azevedo

      • Anabela Pinho diz:

        Boa tarde.
        Pelos vistos, também fui enganada. Estou disposta a imputar responsabilidade a a quem de direito, tendo em conta que também enviei o meu currículo com dados pessoais. E os únicos dados que identificam o email estão em rodapé. Agradeço um esclarecimento urgente! Caso contrário, contactarei, de imediato, o meu sindicato. Penso que as pessoas que foram vítimas deste embuste deveriam unir-se e denunciar a situação junto dos media, inclusivamente. Deixo o meu contacto: anabela.depinho@gmail.com.
        Grata pela atenção.

        Melhores cumprimentos.
        Anabela Pinho

  9. gcalx diz:

    Cara Anabela Pinho,
    Agradeço o seu mail. Da minha/nossa parte fizemos queixa à Policia, uma vez que os meus dados profissionais foram usados abusivamente para dar credibilidade ao anúncio e tornaram a minha vida num inferno durante 3 meses de tantos telefonemas e mails que recebi. Não lhe consigo dar mais nenhum esclarecimento acerca desta situação porque para além do mail que recebi e reencaminhei não tenho mais informações.
    Cumprimentos
    Mónica Azevedo

  10. Maria Santos diz:

    Boa tarde,
    Gostava de saber se necessitam de professora com experiência na área do português, história e tecnologias de informação e comunicação, para eventuais programas de alfabetização de adultos.
    Grata pela atenção.
    Maria santos.

    • gcalx diz:

      Bom dia

      Eu apenas reencaminhei esse mail e como tal não tenho nenhuma responsabilidade ou envolvimento nesse processo, assim como também não o tem a Fundação Aga Khan. Pelas indicações que me foram dadas este mail, no qual foram acrescentados os meus contactos profissionais para dar mais credibilidade, é uma fraude com vista à obtenção de contactos para alimentar bases de dados. Já apresentámos uma queixa na Policia de Segurança Pública. Peço o favor de reenviarem esta msg a quem vos mandou o mail ou para os sites onde o encontraram para se conseguir fazer parar o processo.

      Obrigada
      Mónica Azevedo

  11. Rosário Rosa diz:

    Boa noite,
    Eu também fui uma das pessoas que recebeu um desses emails há já algum tempo e enviei o meu curriculum. Entretanto já tinha ouvido dizer que era fraude, mas sei que o email continua a circular.
    Lamentável! Rosário Rosa

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 2.928 outros seguidores

%d bloggers like this: